Evolução do Projeto

O projeto Caminhos do Cuidado iniciado em março do ano passado encontra-se em fase de descentralização, fechando seu ciclo em direção à meta de oferecer formação em saúde mental, crack e outras drogas para um contingente de 290.197 agentes comunitários de saúde (ACSs) e auxiliares e técnicos em enfermagem (ATENFs). Nessa nova etapa, iniciada em julho de 2014, denominada de regionalização, a Rede de Escolas Técnicas do SUS (RET-SUS), parceira do projeto, ganha destaque participando tanto da produção como também da iniciação de turmas, formação pedagógica e avaliação de candidatos, contando com o apoio das equipes regionais (macros e coordenações estaduais). O objetivo é garantir sustentabilidade à iniciativa, superando seu tempo de duração, previsto para final de 2014.

A formação proposta pelo Caminhos do Cuidado inovou por ser dinâmica, com estratégias que possibilitam aos atores da Atenção Básica trabalhar em conjunto com a Saúde Mental, acolhendo e cuidando do usuário, sem excluí-lo sob qualquer pretexto. Outra peculiaridade é que todo o trabalho se dá conforme as especificidades de cada território, levando em conta a realidade local nas mais diferentes regiões do Brasil.

O nascimento do projeto

O projeto Caminhos do Cuidado começou a ser concebido a partir da parceria formada por duas instituições: a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), do Rio de Janeiro e Grupo Hospitalar Conceição, do Rio Grande do Sul. Articulado pela Casa Civil e sob a responsabilidade do Ministério da Justiça, o projeto está inserido no eixo do Cuidado do Plano Integrado “Crack, é possível vencer”. Desde o seu início contou com a parceria da Rede de Escolas Técnicas do SUS (RET-SUS), que foi essencial para sua execução. A base do projeto é a política de atenção integral e cuidado com as pessoas que fazem uso prejudicial de drogas.

As parcerias com setores do Ministério da Saúde como o Departamentos de Gestão da Educação na Saúde (Deges), de Atenção Básica (DAB) e de Saúde Mental do Ministério da Saúde foram fundamentais para a realização do “Caminhos do Cuidado”, assim como a articulação entre as instituições do Sistema Único de Saúde (SUS) que são protagonistas nessa formação, destacando a parceria entre estados e municípios, Conselhos de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems) e com as Escolas Técnicas do SUS e Escolas de Saúde Pública (ETSUS/ESP).

O ponto de partida

A primeira etapa do projeto começou em outubro de 2013.  O pontapé inicial se deu quando os membros da coordenação do projeto Caminhos do Cuidado (executiva, planejamento, infraestrutura, grupo condutor, macrorregiões, acadêmica, pedagógica e comunicação social) se reuniram em uma oficina de trabalho, e discutiram a estrutura organizacional e o cronograma de datas para a elaboração dos trabalhos por área.

Na ocasião foi definido que as oficinas de capacitação para orientadores seriam realizadas nos seis estados considerados prioritários: Acre, São Paulo, Pernambuco, Paraná, Rio Grande do Sul e Distrito Federal.

Para atingir a meta de formação 290.197 Agentes Comunitários de Saúde (ACSs) e Auxiliares e Técnicos de Enfermagem (ATENFs) ficou estabelecido que deveriam ser formados 80 orientadores e 1.200 tutores de aprendizagem.

Programação dos cursos e material didático

O Caminhos do Cuidado começou, efetivamente, com a seleção de 10 educadores e a formação dos orientadores de aprendizagem, responsáveis pela capacitação e acompanhamento dos tutores no processo de formação em saúde mental, crack e outras drogas. Esses tutores, por sua vez, acompanham os ACSs e os ATENFS por todo o curso.

Os orientadores de aprendizagem são profissionais de nível superior com pós-graduação em áreas como Saúde Mental, Saúde Coletiva, Saúde Pública, Atenção Básica, Educação ou Ciências Sociais.  Para integrar o projeto eles participaram de processo seletivo e de uma oficina de formação pedagógica na modalidade presencial, com carga horária de 24 horas

Os tutores participaram de um curso de formação com carga horária de 120 horas sendo 40h presenciais, e com critério de seleção classificatória, e 80h em Educação a Distância (EAD), acompanhados pelo orientador de aprendizagem.

Os alunos (ACSs e ATENFs), objetivo final do projeto, têm curso de formação com carga horária de 60 horas, sendo 2/3 do tempo gastos em horas presenciais e 1/3 em observações de campo.

Todo material didático do curso foi elaborado pelo núcleo pedagógico e educadores do projeto e validado por Agentes Comunitários de Saúde, que opinaram e colaboraram. A Comunicação Social criou a logomarca e produtos como a camisa e a mochila entregues aos orientadores, tutores e alunos, juntamente com o kit do material pedagógico (cadernos, guia e DVDs contendo textos e vídeos). Foi criado o site  http://www.caminhosdocuidado.org/ com a disponibilização desse material didático além de vídeos de apoio, abordando temas relacionados ao curso de capacitação em saúde mental, crack e outras drogas.

Nos territórios

Após o lançamento do primeiro edital (Termo de Referência) para a seleção de orientadores dos estados do Acre, Pernambuco, Paraná, Rio Grande do Sul e Distrito Federal teve início a formação dos ACSs e ATENFs.  O primeiro edital foi publicado em 09 de agosto de 2013. A primeira oficina de orientadores de aprendizagem aconteceu em Brasília, durante três dias, e formou 12 orientadores dos 21 pré-selecionados. A essa oficina se seguiram outras destinadas aos orientadores e tutores dos seis estados pilotos e foram realizadas também em Recife, Curitiba, São Paulo, Rio Branco e Porto Alegre.

Segunda fase do projeto

A segunda etapa do projeto foi consolidada em dezembro de 2013 e foram abertas seleções para orientadores e tutores nos estados de Mato Grosso do Sul, Pará, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Tocantins, Minas Gerais, Goiás, Amapá, Bahia, Alagoas e Amazonas.

Lançamento oficial do projeto

O projeto Caminhos do Cuidado foi lançado, oficialmente, em 23 de outubro, em cerimônias simultâneas, nos estados pilotos do Acre, Pernambuco, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo e no Distrito Federal. Os agentes comunitários de saúde tiveram sua aula magna, uma palestra de um técnico do Ministério da Saúde.

No Distrito Federal estiveram presentes Ana Paula Cerca, diretora do departamento de Gestão e Regulação da Secretaria Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde; Paulo Gadelha, presidente da Fundação Oswaldo Cruz; Umberto Trigueiros, diretor do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde da Fiocruz; Carlos Eduardo Nery Paes, diretor Superintendente do Grupo Conceição Hospitalar; Claudio Barreiros, consultor técnico da área de Saúde Mental do Ministério da Saúde; Ena de Araujo Galvão, diretora da Escola Técnica do SUS de Brasília e Rosalina Sudo, subsecretária da Atenção Primária da saúde do Distrito Federal. Os estados apresentaram diversas atrações culturais.

Para marcar o lançamento, foi produzido um vídeo com os melhores momentos do lançamento nos Estados que está disponibilizado na internet, ( http://www.youtube.com/channel/UCsCTLaiJZPrO4fiX9_L_4_w/featured?view_as=public)

Terceira etapa do projeto

A terceira fase do Projeto Caminhos do Cuidado foi iniciada em fevereiro de 2014 com a participação dos Estados do Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima e Sergipe.

Fase final: regionalização

O projeto Caminhos do Cuidado chega à sua etapa final e entra em processo de regionalização e consequente descentralização de suas ações. Nesta fase os principais pontos são: o reforço ao protagonismo da RET-SUS, destaque à Comunidade de Práticas que serve como apoio e ponte entre o Núcleo Pedagógico e os orientadores e tutores, que vão atuar na formação dos alunos (agentes comunitários de saúde e auxiliares e técnicos em enfermagem).

Para facilitar o processo de regionalização das ações, a área de Infraestrutura do projeto criou manuais para as coordenações estaduais trabalharem suas ações de forma descentralizada.

E para acompanhar toda essa transformação do projeto, a Comunicação Social  está reformulando o site do projeto http://www.caminhosdocuidado.org/, que está ganhando nova cara, com uma identidade visual mais leve e conteúdo de destaque para os estados.